Russia metro ataque

Explosão destruiu portas do comboio na cidade de São Petesburgo

O terrorismo voltou a golpear a Rússia, nesta segunda-feira (03), com um atentatado a bomba no metrô de São Petersburgo. O ataque causou ao menos dez mortes e dezenas de feridos. Segundo a agência Tass, as vítimas são todas de nacionalidade russa. Sete pessoas morreram no local, uma na ambulância e outras duas no hospital. Os feridos foram transportados para hospitais.
O ataque coincidiu com a visita do presidente ruso, Vladimir Putin, que estava na cidade recepcionando o presidente bielorrusso Alexander Lukashenko. A explosão aconteceu quando o comboio passava por um túnel. Mesmo assim, o maquinista seguiu e só parou na estação seguinte. As imagens do atentado se espalharam rapidamente pelas redes sociais, com corpos ensanguentados estendidos na frente de um vagão com as portas arrancadas pela força da explosão.
A tragédia poderia ter tido maiores proporções visto que um artefato explosivo foi desativado em outra parada de metrô. Segundo a polícia, a carga encontrada tinha a potência muito maior. Em declarações ao canal Rusia-24, um porta-voz das forças antiterroristas confirmou que a desativação da segunda bomba, que continha mais de um quilo de explosivos, ocorreu na estação de Ploshchad Vosstaniya, junto ao local onde chegam os comboios vindos de Moscou.

Russia suspeito

Imagem de suposto autor foi divulgada, mas ainda não há informações precisas

Todas as linhas de metrô foram imediatamente interditadas e a rede metropolitana da capital russa, bem como os aeroportos e alguns espaços públicos mais movimentados, receberam reforço na segurança por parte do exército. Imagem de um suposto responsável pela explosão foi divulgada, mas ainda não há informações mais porecisas sobre a autoria
Esta não foi a primeira vez que se verificaram explosões nos meios de transportes russos. Em 2009, milícias islamistas do norte do Cáucaso explodiram uma bomba num comboio, também em São Petersburgo, matando 27 pessoas. No ano seguinte, dois suicidas mataram outras 38 pessoas no metrô de Moscou e em 2010 morreram 35 numa explosão no aeroporto de Domodedovo. Em 2013, vários homens-bomba atacaram diversas estações de comboio e de ônibus, em Volgogrado, matando 31 pessoas.