A presidente da entidade, Elisenda Paluzie, e a deputada Isabel Pires estarão no debate no qual apresentarei a edição de “Catalunha, entre a esperança e a tempestade”, no primeiro evento oficial da ANC Lisboa

Lisboa será a sede da mais nova representação no estrangeiro da Assembleia Nacional Catalã (ANC), que começa suas atividades oficialmente no próximo dia 27 de junho. Terei a honra de estar entre os participantes do ato inaugural, um debate sobre a luta pela autodeterminação do povo catalão no qual apresentarei o livro “Catalunha, entre a esperança e a tempestade”, lançado este ano pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), no Brasil.

No debate, que será realizado no emblemático Museu do Aljube – Resistência e Liberdade, a partir das 19h, na capital portuguesa, participatrá a presidente da ANC, Elisenda Paluzie, e a deputada do Bloco de Esquerda, Isabel Pires. A Assembleia Nacional Catalã é uma organização de base que reúne cerca de 80 mil pessoas de todas as partes da sociedade catalã, incluindo diferentes ideologias, religiões e nacionalidades e trabalha numa base voluntária por uma causa comum: conquistar a independência catalã de uma forma completamente pacífica e democrática.

Na Catalunha, existem 596 assembleias locais, o que significa que mais de 60% dos municípios catalães têm uma agência local do ANC. Enquanto no exterior, atualmente há 40 assembleias que reúnem mais de 10 mil integrantres, cujo objetivo é explicar o processo de independência catalã para o mundo. As primeiras assembleias estrangeiras foram estabelecidas em 2013, após a organização espontânea de 126 manifestações em todo o mundo para ecoar a cadeia humana de 400 km que ligava a Catalunha da fronteira norte com a França até a fronteira sul com Valência.

Além disso, existem 64 assembleias sociais e profissionais baseadas em interesses (por exemplo, advogados, tradutores, professores, funcionários públicos, LGBT e direitos das mulheres), que funcionam como think-tanks e sindicatos nos seus sectores profissionais e constituem um apoio importante para as actividades e ideias do ANC.

LIVRO“Catalunha, entre a esperança e tempestade” é um livro-reportagem no qual narro os acontecimentos que levaram políticos e ativistas catalães ao banco dos réus na Espanha e ao exílio por conta do processo independentista. A narrativa começa na madrugada do dia 1º de outubro de 2017, quando mais de dois milhões de pessoas foram aos colégios eleitorais da Catalunha votar no referendo de autodeterminação proposto pelo então presidente Carles Puigdemont. A jornada que ficou marcada pelo ataque da polícia espanhola contra os eleitores, que resultou em mais de mil feridos.

O relato segue pelos episódios que se sucederam dali por diante, entre eles a declaração de independência e a intervenção da Espanha na região, com a dissolução do governo e do Parlamento autonômicos, além da prisão e exílio dos líderes independentistas acusados de rebelião e sedição. Trata ainda do périplo entre a detenção e a liberação de Puigdemont na Alemanha e das tentativas frustradas da Espanha de conseguir a sua extradição, chegando  temporalmente até novembro de 2018, quando o Ministério Público espanhol divulgou as penas solicitadas para os presos catalães, que após 52 dias de julgmento, aguardam veredito do Tribunal Supremo da Espanha.

O prólogo do livro é assinado pelo jornalista Vicent Partal, diretor do jornal digital Vilaweb, que destaca os porquês do sonho independentista e faz um paralelo entre o Brasil e a Espanha em termos de criminalização de certos projetos políticos através de tribunais judiciais. O livro também inclui entrevistas com correspondentes internacionais da Alemanha, França e Argentina, que dão seu ponto de vista sobre o caso, e com o então chefe da Diplomacia Pública da Catalunha, Martí Estruch, que explica a luta midiática dos corpos diplomáticos da Espanha para sufocar a internacionalização do relato independentista.

A novidade da edição está nos recursos utilizados para facilitar a compreensão do litígio entre a Catalunha e a Espanha pelo público de língua portuguesa. Códigos QR ao longo da narrativa dão acesso a reportagens de jornais e de emissoras de TV na internet e a vídeos publicados nas redes sociais. Capturas de telas de publicações no Twitter e no Instagram se somam para ilustrar os fatos expostos, além de fotos cedidas pelo fotojornalista catalão Albert Salamé.

Grande parte do material do livro provêm de publicações do Blog Mundo Afora e de matérias publicadas como colaboradora para o Jornal do Commercio (Recife). A edição inclui glossário, linha do tempo e links de interesse, facilitando ao leitor o entendimento de um tema complexo e que envolve diversas nuances históricas, sociais, culturais políticas e econômicas.

O que: Apresentação do livro “Catalunha, entre a esperança e a tempestade” e debate sobre a luta pela autodeterminação do povo catalão

Quando: 27 de junho (quinta-feira), a partir das 19h

Onde: Museu do Aljube – Resistência e Liberdade, Rua Augusto Rosa, 42, Lisboa