Manifestantes realizaram concentrações em diversos pontos da Catalunha após o anúncio de que os líderes independentistas presos foram condenados com penas de até 13 anos 

Poucas horasapós o anúncio das sentenças mais de 25 mil pessoas já protestavam no centro de Barcelona

Os milhares de agentes da Guarda Civil e da Polícia Nacional que foram enviados para a Catalunha para reforçar a segurança após a divulgação da setença os políticos e ativistas presos não amedrontaram os defensores do movimento independentista. Logo após o anúncio das penas pelo Tribunal Supremo (TS), por volta das 9:30 da manhã (4:30 da madrugada pelo horário de Brasília), começaram as concentrações de manifestantes em várias partes do território.

Estudantes tomaram a Praça Universitat em protesto pela condenação dos líderes catalães

Às 13:30 já eram contabilizadas mais de 25 mil pessoas na Praça Catalunha, no centro da capital Barcelona, além de outros contigentes na Praça Sant Jaume, Via Laetana, Estação de Sants e Arco do Triunfo nas imediações do tribunal Superior de Justiça. Neste horário o movimento Tsunami pela Democracia convocou as pessoas concentradas no centro da cidade a se dirigirem para o Aeroporto El Prat. No local há um grande efetivo policial, orientado a deixar entrar quem esteja em mãos com bilhetes aéreos.

O Tsunami pela Democracia abriu um link para que os manifestantes obtenham passagens aéreas e possam entrar no aeroporto, seguindo o exemplo dos manifestantes de Hong Kong. Com isso, as estações de metrô que levam até o destino foram se enchendo de gente que gritava: “Ao aeroporto! Nem um passo atrás”. Ao verificar o grande fluxo de gente se dirigindo ao aeroporto os Mossos de Esquadra, a policia local, ordenaram a suspenção das linhas que fazem o destino, assim como dos trens que seguem para El Prat. 

Isso fez com que milhares de pessoas ficassem retidas nas estações de trem e de metro. A policia também fez bloqueios na estrada de acesso a El Prat, provocando grandes engarrafamentos. Os agentes de segurança também entraram em confronto com os manifestantes que conseguiram chegar ao terminal e formou uma linha de segurança para impedir o acesso, gerando muita confusão. Até as 15h havia notícia de uma Pessoa presa no local.

Os Comitês em Defesa da República (CDRs), cujos sete membros estão presos em Madri sob acusação de terrorismo e sendo tratado com tais apenas por fazerem parte do grupo, também lançaram convocatória para que os manifestrantes se dirijam ao Aeroporto El Prat. Na chamada através das redes sociais pregam “a desobediência pacífica”. Diante dos bloqueios, muita gente está se dirigindo a El Prat a pé ou por estradas alternativas.

Nos municípios de Tarragona e Girona, para onde forças de segurança também foram enviadas pelo governo espanhol, muita gente está concentrada nas imediações das estações de trem de alta verlocidade e da empresa Renfe. Até esse horário já havia registro de bloqueios na estradas C-15 Pobla Claramunt, C-16 Berga, C-17 Vic, C-37 Querol, C-59 Moià, C-63 Sta Coloma Farners i Anglès, C-66 Bisbal Empordà, GI-634 Verges, N-240 Valls e N-II Mataró.

C-17 foi uma das estradas que teve o trafego bloqueado pelos manifestantes

NoNo final da tarde, o movimento Tsunami Democrático anunciou ação surpresa no Aeroporto de Barajas, em Madri. O tráfego na área foi bloqueado por 1,2 mil carros que começaram a andar em círculos e em marcha lenta, impedindo o acesso ao terminal da capital espanhola.

Ação surpresa de manifestantes em Madri com veículos bloqueou acessos ao terminal

Em diversas cidades também estão sendo registradas manifestações que podem ser acompanhadas pela cobertura on-line de alguns meios de comunicação nos links abaixo:

Vilaweb

Nació digital

CCMA

Ara