A cantora foi o destaque da premiação do Grammy Latino em Las Vegas, arrebatando cinco estatuetas, inclusive o disco do ano

Quem assistiu a premiação do Grammy Latino 2019, na última quinta-feira (14) pode conferir o sucesso da cantora catalã Rosalía, que levou cinco estatuetas, inclusive o maior prêmio, o disco do ano da música latina para o álbum “EI Mal querer”. Também foi classificado como melhor disco pop. Além disso, a música Con altura, em parceria com o criador de reaguetons J Balvin, foi considerada a melhor do ano de música urbana.

Também fotram premiados o pop de Alejandro Sanz, o rock de Andrés Calamaro, (Puerto Rico,) la carrera de Juanes, o legado de Vicente Fernández e a explosão de Bad Bunny em um prêmios Grammy Latinos, que segundo o jornal El País, refletiram o quanto é difícil definir o que é música latina em 2019.ç

“Isso era o último que me esperava, lhes juro por Deus”, disse Rosalía no palco. A cantora agradeceu a Pablo Díaz-Reixa, conhecido como El guincho, que produzou o disco com ela em ummquarto com dois computadores e um microfone. A obra dos dois teve uma carreira assombrosa desde o lançamento, ano passado.

A indústria da música latina não apenas premiou a absoluta novidade de “El mal querer”, senão que também recompensou a cantora pela sua incursão instantânea na música urbana. Ironicamente, este anmo os Grammy Latinos haviam cancelado a categoria de flamenco. A canção de Alejandro Sanz e Camila Cabello, “Mi persona favorita” ganhou o prêmio da melhor gravação do ano. O hit “Calma”, de Pedro Capó, ganhou o Grammy da canção do ano.

Nos demais gêneros, os triunfadores foram Kany García, Andrés Calamaro, Tony Succar, Juan Luis Guerra e Pedro Capó, que ganharam dois grammys cada um. “É incrível o que se viu no palco esta noite”, resumiu Alejandro Sanz. “Sem diversidade não há música latina” O comentario foi feito dentro de um contexto. A explosão do reguetón e o ritmo urbano nos últimos tres anos está colocando cada vez mais pressão sobre a Academia da Música Latina.