Espanha contabiliza quase 20 mil casos de contágio, sendo o terceiro país do mundo com mais casos de coronavirus, atrás da China e Itália

Espanha superou os mil mortos por coronavírus nesta sexta-feira, 20 de março. Os dados atualizados pelo Ministério da Saúde ao meio-dia (8h no horário de Brasília). O salto de um dia para o outro em todo o país foi de 2,8 mil infectados e 19.980 casos confirmados. Com estes números, se torna o terceiro país do mundo com mais casos, atrás da China e da Itália.

Segundo o boletim, o número de mortos é de 1.002 pessoas. Esta cifra não inclui a atualização da Catalunha, feita pela tarde pelo Departamento de Saúde, o que faz prever que hoje debe ser superado o número de 20 mil infectados em todo o país. A comunidade de Madri continua como a mais afetada, com mais de 7 mil casos de contágio. Em segundo está a Catalunha com 3,2 mil casos e o País Vasco com 1.465 pessoas infectadas.

A pesar dos números, o diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias do Ministério da Saúde, Fernando Simon, ressaltou que o número de contágios detectados de quinta para sexta-feira foi menor que nas 24 horas anteriores. O incremento de 2.833 casos significa um aumento de 16,5% quando há dois días foi de 25%, superando a cifra de 3 mil pessoas infectadas em um dia.

Contudo, as autoridades sanitárias frisaram que estes dados não dão margem para baixar a guarda, especialmente nas áreas onde ainda há pouca incidencia e onde as pessoas podem pensar que há menos risco.

Até agora há 1.141 em internamento intensivo, mas já começaram a haver altas médicas, com seis pessoas recuperadas de ontem para hoje. Os internamentos em UTIs são “longos”, e podem durar até 28 dias, de acordó com Simon.

VIGILÂNCIA – A policía e o Exército estão sendo utilizados para monitorar a população durante a vigencia do estado de alerta decretado na última segunda-feira, no qual se recomenda o confinamento em casa. Em Madri, o números de pessoas infectadas chegou a 7.165 casos, com 678 pacientes em UTI. O governo está preparando hotéis para servirem de leitos para pacientes leves, já tendo ativado o primeiro e está em proceso para ativar o segundo. Também estão habilitando um pavilhão de feiras para abrigar pessoas sem teto.

Nesta sexta-feira, o governo español publicou novas medidas dentro do estado de alarma, ordenando o fechamento de hotéis, campings, estacionamentos de caravanas e demais estabelecimentos turísticos.

CATALUNHA – Na comunidade autônoma, que está em segundo lugar de casos de COVI-19, o presidente Quim Torra, ordenou que os Mossos d’Esquadra, a policía local, faça barreiras nas principais rodovias para evitar que as pessoas se desloquem para pasar o final de semana em segundas residências. Na região, é muito comum que as pessoas tenham casas em pequenos povoados, onde comumente vão durante feriados e finais de semana. A policía tem orden de “parar a quem seja”, segundo o secretário de Interior, Miquel Buch. Quem desobedecer a orden pode ser multado em até 30 mil euros.

Torra voltou a pedir ao governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez (PSOE) que isole a Catalunha, por conta das previsões matemáticas de contágio. O governo espanhol tem se negado a atender a Catalunha, cujo primeiro pedido de isolamento foi feito na segunda-feira. Tampouco isolou Madri, onde se concentram a maioria dos casos de COVID-19, permitindo que grande parte da poulação se deslocasse para otras cidades e regiões, aumentando o risco de contágio no país.

“Desde a sexta-feira passda pedimos que fosse autorizado o confinamento da Catalunha. O seguimos como estamos agora ou a vida”, lamentou Torra, lembrando que otros países já tomaram esta decisão. O governo espanhol autorizou apenas o fechamento da frontera terrestre com otros países, mas não de comunidades autônomas que correm risco de aumentar o número de infectados.