Cem mil pessoas se mobilizam para receber exilados catalães em Perpinyà

Os eurodeputados Carlos Puigdemont, Clara Ponsatí e Toni Comín, exilados há mais de dois anos por conta do processo independentista participam de ato na cidade de Perpinyà, na Catalunha Norte, pertencente ao estado francês

puigdemont, ponsatí e Comín adquiriram imunidade ao tomar posse no Parlamento Europeu

A cidade de Perpinyà, na Catalunha Norte, com 120 mil habitantes, se prepara para receber neste sábado os mais de 80 mil visitantes que atravessarão a fronteira entre Espanha e França para recepcionar os eurodeputados Carlos Puigdemont, Clara Ponsatí e Toni Comín, que participarão de um ato promovido pleo Conselho da República catalã no qual é esperado em público de cem mil pessoas. É a primeira vez que o ex-presidente da Catalunha e seus dois ex-auxiliares chegam tão próximo de casa, após mais de dois anos de exílio na Bélgica.

Com imunidade garantida após tomarem posse de seus assentos no Parlamento Europeu no início deste ano, Puigdemon, Ponsatí e Comín podem circular livremente pelos estados da União Européia. Contudo, não se arriscam a entrar em território espanhol por temerem serem presos. Os três são acusados pela justiça de sedição e malversação de fundos públicos por conta da organização do referendo de 1º de outubro e da proclamação frustrada da república em 2017, quando Puigdemont era chefe do executivo catalão.

Na Catalunha Norte, pertencente ao estado francês, os políticos têm a garantia de que a imunidade será respeitada. Como a região já pertenceu à Catalunha (até 1695) e há fortes laços entre as populações dos dois lados da fronteira, a visita tem forte simbolismo e está sendo considerada o primeiro retorno à casa desde o auge do conflito com a Espanha por causa da aspirações independentistas. O ato, previsto para iniciar ao meio-dia, será no Parque das Exposições, e os participantes já foram alertados de que será necessário ter paciência, uma vez que pelo número de pessoas previsto o trânsito deverá colapsar. Até hoje estavam confirmadas pela organização que sairão da Catalunha em direção à cidade quase 600 ônibus e 525 autocaravanas, que movimentará a rodovia fronteiriça podendo provocar longas filas.

Concentració de suport als presos polítics i contra la sentència de l’1-O a la plaça del Castellet de Perpinyà. Foto: Twitter

Também és esperado um grande fluxo de pessoas se deslocando de trem, uma vez que os bilhetes entre cidades catalãs a Perpinyà esgotaram. Os hotéis do lado francês, inclusive de cidades vizinhas a Perpinyà também estão lotados. Para a cobertura de imprensa, já há 226 jornalistas credenciados.Haverá controle do lado espanhol, onde a Polícia Nacional da Espanha reforçou o efetivo e também pós-fronteira, devido ao nível de alerta terrorista na França. As portas do local onde será realizado o evento serão abertas às 8:00 para tentar evitar aglomerações no entorno. Às 10h15 estão previstas apresentações musicais e às 11h30 uma atuação dos tradicionais castellers (pirâmides humanas).

Estarão presentes o atual presidente da Catalunha, Quim Torra, e o ex-presidente Artur Mas, além de todos os vereadores, deputados e congressistas do partido Juntos por Catalunha, ao qual Puigdemont pertence. Está prevista a participação de outros exilados e presos por conta do processo independentista através de vídeos e mensagens escritas.

Puigdemont e Ponsatí já estão em Perpinyà, onde chegaram esta tarde. Os dois fizeram publicações no Twitter de uma foto que fizeram diante do monumento “Porta dos Países Catalães”, obra do escultor Emili Armengol, na cidade de Salses, a primeira do lado da Catalunha Norte. Os dois expressaram estar muito emocionados com o retorno e de poderem pisar mais uma vez em “terras catalãs”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.