Otimismo, a chave para combater doenças segundo pesquisa feita em Harvard

otimismo-2

As emoções e o estado de ânimo podem influenciar na nossa saúde? O resultado de um estudo feito por investigadores da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard com 70 mil mulheres entre 2012 e 2014 indica que sim. Os números apontam que as mulheres com maior número de atributos psicológicos positivos têm menos de risco de morrer de infecção (52% ) e menor probabilidade de desenvolver um Acidente Vascular Cerebral (39%). A possibilidade de falecer por doenças cardíacas ou respiratórias também é reduzida, em 38%, bem como de vir a desenvolver um câncer (16%).
O diretor do estudo, Eric Kim, informa que o resultado não se deve apenas ao fato das pessoas otimistas agirem de forma mais saudável, mas por dados verificados nos exames realizados nas pacientes. Foi constatado melhores níveis de lípidios no sangue e maior número de antioxidantes que protegem as células, além de menor propensão a processos inflamatórios.
Segundo o pesquisador, estudos prévios já haviam revelado que os otimistas apresentam níveis mais baixos de cortisol, hormônio que contribui para elevar a pressão sanguínea, aumentar a gordura abdominal e debilitar o sistema imunológico. Outros estudos relacionam o pessimismo com a diminuição das catecolaminas e uma maior secreção de endorfinas, o que implica em menor atividade do sistema imunológico e propicia o aumento das enfermedades infecciosas.
“Há características do otimismo como a esperança, o pensamento positivo e a extroversão, que favorecem a saúde e fortificam as defesas naturais. Os estados de ânimo que acompanham o pessimismo, como a desconfiança, a impotência e o fatalismo persistentes destroem nossas defesas naturais”, explica o psiquiatra e investigador Luis Rojas Marcos.
Segundo Rojas, os pessismistas têm maior tendência a desenvolver enfermidades cardiovasculares, diabetes do tipo 2 e certos tipos de câncer e infecções. O médico defende que enfocar a vida através de uma lente que acentua os aspectos favoráveis é um excelente protetor para a saúde.
Rojas diz que a teoria de Descartes que separava a mente e o corpo por indicação divina atrasou em três séculos o estudo científico da relação entre ambos. “Mas hoje se sabe que não há tal separação, que existe uma constante comunicação entre os neurônios encarregados do estado emocional, que regulam o pensamento e que controlam o sistema nervoso vegetativo encarregado de regular o ritmo del coração, a pressão arterial, o sistema digestivo, a secreção de hormônios e o sistema imunológico protetor”, explica.
O psiquiatra diz que se temos ansiedade por nossas preocupações, nosso sistema nervoso autônomo ou vegetativo se hiperativará e alterará o equilíbrio homeostático do organismo provocando problemas cardiovasculares, respiratórios, dores musculares, entre outros.
Rojas afirma que durante séculos se equiparou o otimismo com a ingenuidade, mas hoje está demonstrado que esta perspectiva é perfeitamente compatível com a sensatez na hora de resolver situações complicadas. “É uma forma de sentir e de pensar que nos ajuda a gestionar nossos recursos e a lutar sem nos desmoralizarnos para superar situações adversas”, completa.
Algumas investigações apontam que algo tão simples como pedir a uma pessoa que escreva ou pense nos melhores resultados possíveis para diversas áreas da vida, como carreira profissional ou suas relações, ou anotar os atos de amabilidade recebidos e as coisas pelas quais se pode estar agradecido a cada dia, permitem modificar a percepção e a atitude vital e podem servir para melhorar a saúde.

Seis vantagens de ser otimista:

Maior resiliência – Não se dão por vencidos, vêem os desafios como algo alcançável e motivador.

Menor estresse – Não se antecipam ao futuro com angústia e afrontam as situações adversas de forma mais tranquila e sã.

Maior eficácia – Como percebem as situações e contratempos da vida diária com menos estresse podem atuar de forma mais eficaz no trabalho, junto da família e com os amigos.

Bons hábitos – Têm a perspectiva de viver coisas boas no futuro e se cuidam mais, comem melhor, fazem mais exercício, dormem melhor. E enfocam situações difíceis de forma mais sã, com menos excessos.

Mais apoios – Constroem relações sociais mais fortes e sua menor hostilidade social faz com que tenham mais apoios em situações adversas.

Melhor biologia – Padecem menos inflamação, apresentam um nível mais baixo de lípidos no sangue e mais antioxidantes. Têm níveis mais baixos de cortisol, hormônio que contribui para aumentar a pressão sanguínea e a gordura abdominal e a debilitar o sistema imune.

Diferentes tipos de otimismo
Situacional – São as expectativas favoráveis de uma pessoa frente a um acontecimento ou circunstância concreta.
Disposicional – É uma atitude geral positiva frente às adversidades da vida.
Ilusório – Consiste em uma falsa expectativa favorável diante quase todos os aspectos da vida apesar das evidências em contrário.
Inteligente – Também chamado estratégico, induz a ser razoavelmente otimista para aquilo pelo qual se pode lutar e conseguir, e razoavelmente pessimista para não sofrer frustrações importantes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.