A tribo onde as mulheres mandam nos homens e podem casar-se mais de uma vez

Tribo
Uma mulher da tribo Wodaabe/Foto: GYI

 

Você acredita que exista um lugar no mundo onde as mulheres mandam nos homens? E mais: podem ter mais de um marido e as que são solteiras podem fazer sexo com quem queiram e quando queiram? Esse local existe e está localizado na África. Trata-se da tribo Wodaabe.
Matéria divulgada pelo jornal britânico Daily Mail e reproduzida pelo espanhol La Vanguardia, mostra que se Wodaabe é uma comunidade nômade governada por mulheres. Que detém o poder e liberdade sexual.
Os integrantes da tribo passam a maior parte do tempo atravessando o duro deserto de Sahel, principalmente em Níger. Também passam temporadas em Camarões, República Centroafricana, Chad e Nigéria.

Tribo2
Homens pintam todo corpo para se apresentarem em concurso de “maridos”

MATRIMÔNIO – A cada ano, no mês de setembro, os homens wodaabe celebram o festival Gerewol, na época das chuvas. Eles pintam todo o corpo, processo que leva quase seis horas, e tentam impressionar as mulheres dançando para elas. Isso na tentativa de serem eleitos esposos. O jurado, composto pelas três mulheres mais belas da tribo, elegem três ganhadores.
As casadas também podem buscar outros maridos. O primeiro matrimônio, no entanto, é determinado por suas famílias com finalidade reprodutiva e recebe o nome de koogal. Os casamentos seguintes são contraídos por amor ou atração. Esse tipo de união é chamada teegal.
Você se adaptaria a uma sociedade assim?

36 thoughts on “A tribo onde as mulheres mandam nos homens e podem casar-se mais de uma vez

  • 5 de maio de 2016 em 19:37
    Permalink

    Não é “tribo”, e sim, O Povo Wodaabe.

    Usar as palavras ‘tribos’ e ‘dialetos’ é uma forma de diminuir outros povos.
    São linguagens como qualquer outra e um povo como qualquer outro.

    Amei a reportagem!

    Resposta
    • 10 de julho de 2017 em 14:13
      Permalink

      Exatamente nao expressam o país! Sabem que issu é mentira. Lembrando-se que também sou africano.
      Duvida: Jornal Bitânico ou Britânico?

      Resposta
      • 12 de julho de 2017 em 08:21
        Permalink

        Obrigada pela correção Alves, já feita no texto, onde havia um equívoco de digitação. Importante leitores que nos ajudam a melhorar. Obrigada pela visita ao Blog Mundo Afora!

        Resposta
    • 11 de julho de 2017 em 15:47
      Permalink

      O importante é saber o significado de tribo. No meu ponto de vista não devo considerar de forma alguma um grau deminuitivo más um conjunto de um povo que vivi a mesma maneira.

      Resposta
      • 12 de julho de 2017 em 08:19
        Permalink

        Importante esta colocação Armando Cortez. Obrigada pela visita ao Blog Mundo Afora!

        Resposta
  • 9 de maio de 2016 em 18:27
    Permalink

    A China também tem uma tribo assim, tem uma matriarca que manda na comunidade, os filhos todos pertencem a ela, e todos a chamam de mãe, ninguém se casa, depois do jantar as mulheres fazem uma roda e cantam e dançam, e os homens ficam vigiando qual seria a companheira que o agradaria para o sexo aquela noite, naquela comunidade ninguém tinha filhos, os filhos pertenciam a matriarca.

    Resposta
  • 10 de maio de 2016 em 17:21
    Permalink

    Fujo daí venho viver em Angola

    Resposta
  • 10 de maio de 2016 em 17:41
    Permalink

    Cooooom certeza já estou adaptada e não sabia

    Resposta
  • 10 de maio de 2016 em 23:41
    Permalink

    Porque não, se fizesse parte da minha cultura?
    Nas sociedades poligames, esta pergunta não é posta. Porquê?

    Resposta
  • 11 de maio de 2016 em 17:50
    Permalink

    Sim, julgo que é uma questão de hábito. Eles estão assim educados, não estranham. E não é má ideia. Pior sorte terão aqueles que nenhuma quer. coitados!…

    Resposta
    • 10 de julho de 2017 em 05:23
      Permalink

      É necessário estranhar hábitos irracionais

      Resposta
  • 13 de maio de 2016 em 06:53
    Permalink

    O ser humano tem a capacidade de se adaptar e sobreviver então, poderia adaptar-me com os hábitos e costumes deste povo wodaabe assim como qualquer outro ser humano.

    Resposta
  • 15 de maio de 2016 em 16:32
    Permalink

    Com facilidade. Não tenho dúvida ou receio da superioridade da mulher em todos os níveis. A preponderância do machismo é a origem da destruição na chamada sociedade ocidental. E o homem – masculino – só pode ser íntegro se incorporar sua parte feminina, criativa, cooperativa e construtiva.

    Resposta
  • 14 de setembro de 2016 em 16:37
    Permalink

    este que se intitula renato rasiko nao passa de um embuste;
    pode ser considerado um idiota; tipo um escroque internacional.
    legioes de mulheres ja foram enganadas por ele, em todos os sentidos.

    Resposta
  • 9 de julho de 2017 em 09:14
    Permalink

    Vou a meu Belo Moçambique

    Resposta
  • 9 de julho de 2017 em 11:45
    Permalink

    Se fosse a minha tribo com certeza faria sentido pra mim. Mas agora que estou abituado a outro estilo de vida parece estranho…mas tudo é só questak de habito.

    Resposta
    • 11 de julho de 2017 em 22:12
      Permalink

      Exatamente Severiano Mendes. Tudo é questão de hábito. Obrigada pela leitura do blog Mundo Afora!

      Resposta
  • 10 de julho de 2017 em 11:15
    Permalink

    Sem duvida estaria adaptado a esta cultura. Alias teria sido socializado nestes termos. Tal como estou no contexto da minha cultura.

    Resposta
  • 10 de julho de 2017 em 12:04
    Permalink

    Nao sei de me adaptaria, mas creio que nao.. Como eu saberia que este filho no meio de tantos outros me pertence? Mulher e para único homem.

    Resposta
    • 12 de julho de 2017 em 08:22
      Permalink

      Cada um com sua opinião. Grata pela visita ao Blog Mundo Afora José!

      Resposta
  • 10 de julho de 2017 em 15:57
    Permalink

    Nao sei se poco me adaptar,pra me e um pouco estranho mulher casar se com de um homem.

    Resposta
    • 11 de julho de 2017 em 22:15
      Permalink

      Cada um com seu ponto de vista e opinião. Obrigada pela leitura no Blog Mundo Afora Alcino.

      Resposta
  • 11 de julho de 2017 em 11:46
    Permalink

    Usam preservativo com os demais parceiros? HIV é uma realidade em Africa

    Resposta
  • 12 de julho de 2017 em 05:32
    Permalink

    Diversidade cultural acentua-se também nessa diferenciação, nesse distanciamento daquilo que elegendo como “normal”. Claro que me adaptaria…..voltando pra Africa

    Resposta
    • 12 de julho de 2017 em 08:18
      Permalink

      Obrigada pela visita ao Blog Mundo Afora Osvaldo!

      Resposta
  • 12 de julho de 2017 em 06:56
    Permalink

    ao menos em certas culturas africanas os homens sabem valorizar a mulher e vice versa ….. ah e as coisas são as claras…..(como a infidelidade ) não sei como um continente pobre tem mais educação cultura e saber estar que os países desenvolvidos ….. pois aki temos tanta riqueza mas vivemos no meio do lixo onde ninguém se respeita …… por isso que muitos n se adaptariam pois a questão respeito vem d berço era bom que muitos deixassem as novas tecnologias de partem e fossem aprender novas culturas ou invés de fazerem casas de segredos e etc fizessem programas em como se adoptar em outras culturas !!!!!

    Resposta
    • 12 de julho de 2017 em 08:17
      Permalink

      Respeitar a cultura de outros povos é realmente muito importante Catia. Obrigada pela visita ao Blog Mundo Afora!

      Resposta
  • 14 de julho de 2017 em 19:06
    Permalink

    Sou africano , de naçao moçambicana acesso muito a internet ,ate mais sobre a bossa geraçao africana mas é pela primeira vez a saber dessa informação. Ate nos livros da historia de todas classes k EU frequentei nao me lembro do tema k fala dessa comunidade

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.