Praga de gafanhotos destrói tudo pela frente na Etiópia, Somália e Quênia

Nações Unidas lança alerta após invasão de milhões de gafanhotos na África Oriental, que está colocando em risco de fome milhões de habitantes no continente

Milhões e milhões de gafanhotos avançam 150 quilômetros por dia  destruindo tudo pela frente

Uma invasão de gafanhotos está castigando os campos na Etiópia, Somália e Quênia, na África Oriental. A praga tem avançado 150 quilômetros por dia e já está se aproximando dos países na fronteira e em pouco tempo poderão se estender por outros território do continente. A população dos países afetados chega a 160 milhões de habitantes e se teme que em breve poderá afetar a 260 milhões de pessoas, a maioria em risco de fome.

As Nações Unidas lançaram um pedido de ajuda internacional para enfrentar a praga de insetos que está devorando os cultivos e destruindo tudo que encontra pela frente. Segundo a FAO, as nuvens de gafanhotos podem se multiplicar por 500 a partir de junho se não for feito nada para detê-los. Os insetos são capazes de acabar com cultivos capazes de alimentar 2,5 mil pessoas em todo um ano em apenas um dia.

O clima da região cria condições de reprodução rápida para os gafanhotos. As chuvas fortes que ocorreram no final de 2019, insólitas neste ponto do continente africano, e as temperaturas quentes favorecem a propagação da espécie. O diretor geral da FAO, o chinês Qu Dongyu, fez um apelo desesperado aos atores internacionais para que contribuam economicamente para resolver o problema.

“Isso de converteu em uma situação de dimensões internacionais que ameaça a segurança alimentar de toda uma região. A FAO está colocando em marcha mecanismo que permitam avançar o mais rápido possível para ajudar os governos dos países afetados a organizar uma campanha coletiva para podermos enfrentar esta crise”, reforçou. Para dar exemplo sobre a magnitude da Praga, a FAO informou que uma nuvem de gafanhotos da dimensão de Paris pode comer a mesma quantidade de alimentos que a metade da população da França em um só dia. Cada gafanhoto adulto pode comer o seu peso em alimentos que ingere cada dia.

De momento, a ONU aportou 10 milhões de dólares para o combate aéreo da Praga na Etiópia. O governo do Quênia investirá 5 milhões de dólares para controlar e evitar a propagação dos insetos. A situação pode piorar porque há risco iminente que a Praga chegue em breve a Uganda e Sudão do Sul.

Nas redes sociais estão sendo divulgadas diversas informações dos efeitos que pode ter esta crise e se compara, inclusive com o surto de coronavirus originado na China. A grande quantidade dos insetos provém do Iémen, através do Mar Vermelho. Fazia 25 anos que a Etiópia e Somália não tinham uma praga daquelas dimensões. No Quênia isso não ocorria há 70 anos. No mês passado, uma nuvem de gafanhotos obrigou um avião a fazer uma aterrisagem de emergência na Etiópia. Os insetos entraram no motor e se acumularam nos vidros da cabine dos pilotos. O comandante, então resolveu voltar ao aeroporto de Addis Abeba.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.