Sant Jordi Vale
A Diada de Sant Jordi (São Jorge), patrono da Catalunha, transcorreu num domingo primaveral radiante. Milhares de pessoas lotaram as ruas centrais de Barcelona, epicentro da festa, que teve versões animadas em todos os municipios do território. Na data, quando se celebra o Dia Mundial do Livro, a tradição é presentear com rosas e livros, que podem ser comprados nas ruas, onde são montadas bancas diversas.
Em torno dos pontos de vendas de editoras e livrarias, onde muitos escritores estiveram à disposição do público autografando seus lançamentos, muitas filas se formaram. No final do dia, o Grêmio de Livreiros anunciou que foram comercializados 1,6 milhões de exemplares durante a jornada.
Passear por esse ambiente garantiu o encontro com as mais diversas expressões populares. Na Praça Sant Jaume, onde uma imponente figura de São Jorge decora a fachada do Palácio da Generalitat, muitos bailaram a sardana, uma das mais tradicionais danças locais. Em diversos pontos de Barcelona foram realizadas apresentações musicais para públicos de todos os gostos.
Os partidos políticos aproveitaram a multidão para montar barracas onde expuseram material com suas propostas, a maioria de partidos independentistas. Entidades da sociedade civil aproveitaram para obter assinaturas para uma petição popular em apoio ao referendo de independência que o governo pretende organizar até setembro.
CULTURA – A Diada de Sant Jordi é uma das festas de maior reivindicação da cultura catalã, tendo versões em mais de 150 cidades do mundo. Ë também o dia dos apaixonados e por isso desde o século XV é costume presentear rosa vermelha, “como o sangue”, às mulheres. Na década de 30 teve início o costume de também presentear aos homens com livros, como motivo da data mundial. Atualmente não há restrição de gênero para ofertar rosas ou livros a homens e mulheres, o que se dá também entre amigos e familiares.