Primeiro ministro da Espanha se mostra disposto a sentar com Quim Torra, que pediu diálogo para desencalhar conflito. Primeira missão é suspender intervenção 

Quim Torra em Berlim com Puigdemont, onde concederam entrevista coletiva

O presidente da Catalunha, Quim Torra, propôs e conseguiu a promessa de um encontro nos próximos dias com o primeiro ministro da Espanha, Mariano Rajoy. Torra pretende buscar entendimento para desencalhar o conflito instalado na sequência da frustrada proclamação da república em outubro, que levou à intervenção do território.

Apesar de não querer estabelecer linhas vermelhas para o encontro ainda sem data, Rajoy ressaltou que “qualquer diálogo tem que estar dentro da lei”.  E sublinhou que “na Catalunha só pode haver um presidente, uma só legalidade e únicas instituições que são as que marcam a constituição”.

A ressalva de Rajoy se deve ao fato de Torra ter afirmado em público que não está disposto a abdicar do projeto de uma república independente. Também pelo novo líder catalão contar com a total confiança do ex-presidente Carles Puigdemont, com quem se reuniu hoje em Berlim no primeiro compromisso agendado após ser investido.

Torra concedeu entrevista coletiva na capital alemã ao lado de Puigdemont, onde destacou a necessidade urgente de que a intervenção na Catalunha seja suspensa. O decreto do Senado prevê a suspensão automática da medida assim que o presidente tome posse e forme governo. Contudo, em reunião com Pedro Sànchez, líder do PSOE que apoiou a aplicação do artigo 155, Rajoy anunciou que pretende manter o controle das finanças do governo catalão. A medida foi criticada por Torra, que considera que desta forma o governo espanhol estará indo de encontro ao resultado da eleições de dezembro vencidas pelos partidos independentistas.

Na entrevista em Berlim, Torra voltou a insistir na necessidade de uma mediação para o conflito por parte da União Europeia. Puigdemont, que aguarda decisão da justiça alemã sobre seu pedido de extradição, assumiu o papel de trabalhar no exílio para ampliar o apoio internacional  à causa soberanista.

A posse de Torra deve ser realizada nesta quarta-feira e na sequência espera-se a nomeação dos membros do governo, o que está previsto para antes do final de semana.